Se para muitos de nós a Netflix é considerada um verdadeiro paraíso, para os estúdios e grandes produtoras, pode ser considerada um verdadeiro inferno. Visando em lucrar cada vez mais, a grandes companhias como Fox e Disney, anunciaram que irão remover todos os filmes do catalogo do serviço de Streaming a fim de criar suas próprias ferramentas de exibição de suas produções.

A Fox saiu na frente, e já lançou a algum tempo o Fox Play, serviço disponível “gratuitamente” para aqueles que tem o canal em seu pacote de Tv por assinatura, a remoção de suas produções do catálogo da Netflix está acontecendo aos poucos.

Já a Disney, pretende iniciar a remoção de suas produções somente em 2019, quando seu próprio serviço de Streaming estiver pronto e estabilizado. Um comunicado oficial sobre a decisão foi divulgado no site corporativo da companhia.

“O novo serviço da Disney irá se tornar o portal exclusivo de conteúdo on-demand, visando já lançar os novos live-actions e animações da Disney e Pixar, iniciando-se em 2019 com lançamentos que incluem ‘Toy Story 4’, a sequência de ‘Frozen’ e a versão live-action de ‘O Rei Leão’, juntamente com os clássicos da empresa já conhecidos. A Disney também irá investir significantemente em produções originais e exclusivas para o serviço. Adicional a isso, iremos oferecer uma vasta coleção de produções da Disney Channel, Disney Junior e Disney XD.”

Sobre as séries da Marvel, feitas em parceria com a Netflix, o futuro ainda é incerto. A companhia cogita um serviço exclusivo só para lançamentos que fazem parte do universo Marvel e Star Wars, divisões mais lucrativas da empresa.

“Há conversas sobre o lançamento de um serviço exclusivo da Marvel e outro de Star Wars, mas sabemos do volume de conteúdo que entraria nessas plataformas. A distribuição de conteúdos da Marvel e de Star Wars será anunciada em uma data posterior, quando soubermos o que queremos fazer.”

Caso a Marvel, que também é uma empresa da Disney, siga esses mesmos passos, séries como ‘Demolidor’, ‘Jessica Jones’ e ‘Punho de Ferro’, podem migrar para um novo serviço ou até mesmo ganharem novas versões.

Notícias relacionadas