Afim de ver um filme de ação com lutas, sangue e adrenalina? Vem comigo que vou te apresentar um que estreia dia 21 de setembro nos cinemas. Seu nome é: “O Assassino: O primeiro alvo.”

Se interessou? Toma um pouquinho do Trailer aqui!

AVISO! Caso continue a leitura, melhor saber por mim que aqui contém spoilers do que por outra pessoa!

O filme é dirigido por Michael Cuesta conhecido pelo filme “O Mensageiro” estrelado por Jeremy Renner e por ter dirigido alguns episódios de séries, incluindo “Homeland”, “Elementary” e “Dexter”.

Ele conta a história de Mitch Rapp (Dylan O’Brien), um universitário que está passando férias em Ibiza com sua namorada, onde a pede em casamento, mas um ataque terrorista liderado por Adnan Al-Mansur (Shahid Ahmed) acontece, onde centenas de turistas são mortos, incluindo sua namorada, Katrina (Charlotte Veja).

Dezoito meses se passaram desde o incidente e na intenção de se infiltrar no grupo de Al-Mansur para se vingar, Rapp volta com uma série de habilidades que chamam a atenção da CIA e nisso, a Diretora Irene Kennedy (Sanaa Lathan) vê uma oportunidade de usa-lo como agente. Ela então convoca o veterano Stan Hurley (Michael Keaton) para treinar Rapp para que assim ele possa ajuda-los na caçada de inimigos dos Estados Unidos.

Digamos que Stan e Rapp não se dão muito bem, principalmente porque Rapp não obedece suas ordens e é temperamental, sem falar o fato de Rapp ser muito parecido com o seu antigo prodígio o incomoda muito. Mesmo assim eles são obrigados a trabalharem juntos para investigar uma onda de ataques a militares e civis e descobrem que eles têm algo em comum: Ghost (Taylor Kitsch), um homem misterioso que pode começar uma guerra.

Agora sobre o filme… Bom, vamos lá. Algumas coisas não agradaram no filme.

Primeiro: Posso estar enganado em relação à evolução de uma pessoa em treinamentos e tudo mais, mas nosso protagonista tem habilidades extraordinárias para o pouco tempo em que ele treinou. Não sei ao certo se uma pessoa 100% centrada conseguiria ter as habilidades que ele tem em tão pouco tempo. Quer um exemplo? Ok. Que “novato” conseguiria se infiltrar numa base inimiga onde nem mesmo a CIA conseguiu acesso?

Segundo: O treinamento que Rapp teve com Stan é fraco demais para um treinamento da CIA. Rapp antes disso treinava por conta própria e seu treinamento aparentava ser muito mais pesado comparado ao com Stan.

Terceiro: Alguém me diz o que aconteceu com a Annika (Shiva Negar)? Annika é uma espiã turca. Já ouvi vários casos de pessoas bipolares, mas ela superou qualquer um! Nunca vi uma personagem trocar de lado tão rápido tantas vezes quanto ela. Você chega a ficar confuso pensando que a garota a qualquer momento possa aprontar alguma.

Quarto: Creio eu que uma das partes que mais deveriam ter focado e não focaram foi a do “Mestre” com seu “ex” e “atual discípulo”. Eles poderiam ter melhorado a parte do roteiro em relação aos 3, ter colocado um “tchan a mais”, entendem? Você passa boa parte do filme vendo o Stan falando de seu antigo pupilo e espera ao menos que aconteça uma luta descente entre os dois discípulos, mas não se enganem. Em uma parte do filme onde Stan e Ghost estão frente a frente não é tudo aquilo que esperávamos, é apenas agoniante. (Sobre isso não vou dar spoiler, desculpa.)

Quinto: Não ia aguentar ficar sem comentar sobre isso. Em uma das cenas do filme, um personagem foge pela janela do hotel. Ele simplesmente se jogou pra fora sem nem ao menos ver se tinha algo para se agarrar ou se teria alguém para segura-lo (impossível. Era muito alto) e o que acontece? Ele se dependura numa bandeira na hora que pula da janela e além do efeito ser ridiculo você fica se perguntando “como ele tinha tanta certeza de que não iria se espatifar no chão?”

Agora, como tudo na vida tem seu lado bom, óbvio que esse filme também teria!

Tirando essas coisas que comentei do filme, ele é muito bom mesmo, pode apostar. Pela primeira vez podemos ver Dylan num papel adulto totalmente diferente de “Teen Wolf”, “Maze runner” ou “First time”. Ver ele fazendo um papel mais “maduro” se assim posso dizer, foi ótimo! Não é sempre que vemos o Dylan assim.

Gosta de sangue, tortura, briga, tiro, porrada e bomba? Nesse filme tem tudo isso e um pouco mais! As lutas foram muito bem ensaiadas, tanto que aparentam ser até reais de tão boas que ficaram. As cenas de facadas, tiros… Sendo mais direto, onde pessoas se machucam, estão ótimas também. Claro que não superam as lutas, mas tá tudo muito bom.

Independente do que digam sobre o filme, gosto é gosto. Não faça da minha palavra a sua, pois a minha opinião não é igual a sua, então assista ao filme, compensa. Não é um filme que vai te fazer sair do cinema dizendo: “poderia ter ficado em casa.”. Pode ir ver tranquilo. O filme é bom mesmo.

Notícias relacionadas