Dia: 6 de Agosto, 2018

Você já ouviu falar na Carol Ferreira? Durante 6 anos, ela apresentou um programa no canal Sexy Hot e após apimentar muito a vida dos telespectadores, ela está se lançando no meio musical. O máximo né?

Recentemente foi apresentado o seu primeiro EP, com músicas totalmente autorais! Esse projeto, que estava guardado desde 2008, carrega arranjos de Julinho Teixeira, um dos arranjadores do grande sucesso de Chitãozinho e Xororó, “Evidências”.

Confira a entrevista!

Conexão POP: Durante seis anos, você foi apresentadora de um canal adulto e agora está indo para um caminho totalmente diferente: o da música. Como isso aconteceu?

Carol Ferreira: Eu fui apresentadora de dois programas. Mas, na adolescência eu cantei durante cinco anos na igreja e foi maravilhoso, porquê eu sempre gostei de música, então, foi o meu começo. Em 2008, quando ainda era apresentadora eu escrevi minha primeira música, totalmente simples, fiz a letra e a melodia. Para uma pessoa autodidata é uma linda experiência. Quando acabou o projeto em 2010, eu continuei compondo. A cada situação que acontecia, alguma história triste que me dava inspiração e eu comecei a ver a evolução das músicas. Eu fiz uma música para uma amiga, para um ex-amor e elas começaram a ganhar corpo. Daí, comecei a ver que ali era minha grande paixão e minha motivação. De 2011 pra cá, eu comecei a juntar as músicas e nasceu o projeto musical.

CP: Você já escrevia músicas, mas porquê decidiu iniciar o projeto só neste ano?

Carol: O processo na indústria musical não é fácil. Até você conseguir entregar uma música para alguém… Pois, geralmente, as pessoas trabalham com amigos. No meio artístico, eles ainda não me conhecem como cantora e sim como apresentadora. Essa transição ainda é muito nova. Além disso, o projeto já tem 7 anos e faz um ano que eu fechei com meu agente para trabalharmos nisso. Em 3 meses gravamos ele, eu participei dos arranjos e ele ganhou corpo e velocidade agora. Dia 21 de agosto, ele estará nas plataformas digitais com 2 músicas minhas e 2 covers.

CP: Pra você, qual é o poder da música?

Carol: Eu fico muito animada por saber que minhas músicas podem embalar casamentos, estar em momentos de tristeza. Esse é o poder da música. Eu entrevistei muitas pessoas, foi uma época muito rica e agora estou reencontrando. A música tem o poder de unir as pessoas, sem preconceitos. É um pedaço de Deus. Mesmo que você tenha uma classe/cultura diferente, ela une as pessoas. Você pode cantar uma música em português e alguém do Japão gostar. Eu gosto dessa magia.

CP: Suas músicas são autorais. O que mais te inspira na hora de escrever uma música e como acontece?

Carol: [risos] Em lugares inusitados. Já compôs em ônibus, dentro de avião, por exemplo, algumas músicas são coisas que eu vivi. Tem uma, que se chama “Sofreu de Amor“, eu não estava vivendo isso no momento, porém, veio letra, melodia. Alguém me conta uma história, aí eu pego ela e transforma em uma música.

CP: Como foi trabalhar com o Julinho Texeira?

Carol: Ele é maravilhoso, né. Ele tem 30 anos de experiência e está na direção musical do projeto. Já trabalhou com tanta gente. A maioria dos CDs que eu curtia na adolescência, foram feitos por ele, como Sandy & Junior, fez “Evidências“, trabalhou com Chitãozinho e Xororó. Imagina a minha sorte quando ele entrou no projeto! E o mais legal dele é que com todo esse talento, ele é muito simples. Isso faz com que você entregue sua obra na mão de uma pessoa e confie.

CP: Quais são as faixas do seu EP?

Carol:Cheiro de Mato“, é uma das músicas que está no EP e fala da gentileza, calmaria e me remete a Minas, ao interior. Lá, as pessoas ainda dão “bom dia“, “boa tarde” e na capital às pessoas perdem isso. “Por Quanto Tempo“, que tem uma pegada mais rock e é diferente um desabafo para as pessoas que passam por uma decepção amorosa. “Não dá” é de uma banda portuguesa que eu trouxe pro mercado nacional. “O Marido das Outras” que é uma brincadeira, onde uma mulher fala mal dos homens e é uma ironia, pois, os homens ficam incomodados quando elas falam mal deles. Mas é tudo uma brincadeira e espero que eles façam uma versão deles também, porquê a música tem isso, dá pra fazer brincadeiras, pode fazer a gente chorar. Eu ainda tenho mais 22 músicas guardadas e irei fazer um show dia 21 no Eco SOM, em Botafogo.

CP: Nos últimos anos, as mulheres tem quebrado barreiras e tem sido a atual sensação em vários gêneros musicais. O que isso representa pra você?

Carol: Eu admiro pra caramba isso, é libertador! Eu mesmo nos anos 2000, falava de um assunto que as pessoas tinham receio de falar. Nós temos que quebrar paradigmas, preconceitos, porquê todo mundo pode falar o que quer e ter respeito. As mulheres estão dominando a música e tem muitas empoderadas. Mesmo não sendo o estilo da Anitta, Ivete, Marília Mendonça, inclusive, espero um dia que elas me convidem pra cantar juntas. Temos que falar de tudo e é um momento de expansão, temos a internet onde todos falam de tudo e podemos usar a música para falar sobre tudo também.

CP: O MPB também está em alta, temos Anavitória

Carol: Sim! Inclusive, “Cheiro de Mato” tem a pegada do pop rural que elas cantam.

CP: Quais são os próximos passos para sua carreira?

Carol: Acho que as coisas vão acontecer naturalmente. Estamos se preparando para os shows, estamos ensaiando. No show de lançamento, terá cover de uma música da Anitta. O pontapé inicial será no show de lançamento e depois estarei aberta a convites para shows.

CP: Qual a sua colaboração dos sonhos?

Carol: Olha… Aqui no Brasil, Maria Bethânia, porquê não né? Vamos sonhar! Ela canta com alma e eu escrevi uma música que ficaria linda na voz dela. Eu estou aqui, se quiser me chamar [risos]. Internacional, Dua Lipa, Shakira eu gosto muito.

CP: Relembrando os tempos que você era apresentadora. Já aconteceu algo inusitado?

Carol: Tanta coisa [risos]. Cobri diversos bastidores, como do Frota, da galera que fazia naquela época. Fiz várias matérias e entrevistei vários artistas. Eu já tive 250 entrevistados. Mas, já aconteceu de acertamos uma gravação com uma cantora e ela simpatista. Estava tudo certo, mas, na hora que ela olhou pra canopla e viu o que era o canal… Aí, ela disse que não dava entrevista para esse canal, mas, ela deu um ingresso para o show dela que era a noite e fomos. Mas imagina, você se preparar para uma entrevista e acontecer isso. Foram duas pessoas que rejeitaram. É uma artista que está faz muito tempo no mercado e espero poder um dia gravar com ela. Isso ficou gravado [risos].

Para a capa da edição de setembro da revista Vougue, Beyoncé fez a exigência de um photoshoot com pouca maquiagem e sem suas perucas, tendo ainda um fotógrafo negro, que teve seu nome revelado como Tyler Mitchell. A cantora ainda abriu o coração sobre a gravidez de risco e momentos conturbados que teve com seu marido, Jay-Z.

Foto: Divulgação / Vogue

Depois do nascimento da minha primeira filha [Blue Ivy], comecei a acreditar nas coisas que as pessoas diziam sobre como meu corpo deveria ser. Eu coloquei pressão sobre mim, para perder todo o peso pós parto, e agendei uma pequena turnê para garantir que isso aconteceria. Olhando para trás, foi uma loucura. Eu ainda estava amamentando quando realizei os shows em Atlantic City em 2012. Depois dos gêmeos, eu me aproximei das coisas de forma muito diferente.

 

Foto: Divulgação / Vogue

 

Eu estava com 98 quilos, o dia que dei à luz Rumi e Sir. Eu estava inchada de toxemia e estava em repouso por mais de um mês. Minha saúde e a saúde de meus bebês estavam em perigo, então eu tive que fazer uma cesariana de emergência. Passamos muitas semanas na UTI neonatal. Meu marido foi um guerreiro e um sistema de apoio muito forte para mim. Tenho orgulho de ter sido testemunha de sua força e evolução como homem, melhor amigo e pai. Eu estava em modo de sobrevivência e não compreendi tudo até meses depois. Hoje tenho uma conexão com qualquer pai que tenha passado por essa experiência. Foi uma grande cirurgia. Alguns de seus órgãos são deslocados temporariamente e, em casos raros, são removidos temporariamente durante o parto. Não tenho certeza de que todos saibam disso. Eu precisava de tempo para me curar, para me recuperar.

Foto: Divulgação / Vogue

Durante a minha recuperação, eu me dei amor e cuidado, e aceitei ser mais cautelosa. Eu aceitei o que meu corpo queria ser. Depois de seis meses, comecei a me preparar para o Coachella. Eu me tornei vegana por um tempo, larguei o café, o álcool e todos os sucos de frutas. Mas eu fui paciente comigo mesma e amei minhas curvas mais realçadas. Meus filhos e meu marido também. Acho importante que mulheres e homens vejam e apreciem a beleza em seus corpos naturais. É por isso que eu tirei as perucas e extensões de cabelo e usei pouca maquiagem para essa sessão. Até hoje meus braços, ombros, seios e coxas estão maiores. Eu tenho uma pequena barriga de mamãe e não tenho pressa em me livrar dela.

 

Foto: Divulgação / Vogue

 

Eu venho de uma linhagem de relacionamentos mal sucedidos, abuso de poder e desconfiança. Só quando vi isso claramente pude resolver esses conflitos em meu próprio relacionamento. Conectar-se ao passado e conhecer nossa história nos torna tanto feridos quanto lindos. Eu pesquisei minha ascendência recentemente e aprendi que eu venho de um proprietário de escravos que se apaixonou e se casou com uma escrava. Eu tive que processar essa revelação ao longo do tempo. Eu questionei o que isso significava. Eu agora acredito que é por isso que Deus me abençoou com meus gêmeos. A energia masculina e feminina coexistiram e cresceram no meu sangue pela primeira vez. Oro para que eu seja capaz de quebrar as maldições geracionais da minha família e que meus filhos tenham vidas menos complicadas.

Eu já passei pelo inferno e estou grata por cada cicatriz. Eu tenho experimentado traições e mágoas de várias maneiras. Eu tive decepções em parcerias de negócios, bem como pessoais, e todas elas me deixaram sentindo invadida, perdida e vulnerável. Através de tudo, eu aprendi a rir, chorar e a crescer. Eu olho para a mulher que eu era em meus 20 anos e vejo uma jovem crescendo em confiança, mas com a intenção de agradar a todos ao seu redor. Agora me sinto muito mais bonita, muito mais sexy, muito mais interessante. E muito mais poderosa.

 

Foto: Divulgação / Vogue

No final, Bey ainda deixou um texto de representatividade e aceitação. Confira :

Minha mãe me ensinou a importância não apenas de ser vista, mas de me ver. Como mãe de duas meninas, é importante para mim que elas também se vejam – em livros, filmes… É importante para mim que elas se vejam como CEOs, como chefes, e que elas saibam que podem escrever o roteiro de suas próprias vidas – que podem falar o que pensam. Elas não precisam ser de um certo tipo ou se encaixarem em uma categoria específica. Elas não precisam ser politicamente corretos, contanto que sejam autênticas, respeitosas, compassivas e empáticas. Elas podem explorar qualquer religião, se apaixonarem por qualquer raça e amar quem elas queiram amar.

Eu quero as mesmas coisas para o meu filho. Eu quero que ele saiba que pode ser forte e corajoso, mas que também pode ser sensível e gentil. Eu quero que meu filho tenha um QI emocional alto, em que ele seja livre para ser atencioso, sincero e honesto. É tudo o que uma mulher quer em um homem, e ainda assim não ensinamos aos nossos meninos.

Eu espero ensinar meu filho a não ser vítima do que a internet diz que ele deveria ser ou como ele deveria amar. Eu quero criar melhores representações para ele, de modo que ele possa atingir seu pleno potencial como homem, e ensiná-lo que a verdadeira magia que ele possui no mundo é o poder de afirmar sua própria existência.

Eu estou em um lugar de gratidão agora.

Estou aceitando a mim mesma. Vou continuar a procurar cada centímetro da minha alma e cada parte da minha arte.

Eu quero aprender mais, ensinar mais e viver intensamente.

Eu trabalhei muito para conseguir chegar em um lugar onde eu possa escolher me cercar daquilo que me preencha e me inspira.

 

QUE ENCONTRO! No último domingo, 5, rolou o 1° Radio Disney Ao Vivo, e tivemos um encontro para lá de especial nos bastidores do evento. CNCO e Anitta, fizeram a alegria dos fãs ao se encontrarem, que resultou em uma palinha dos meninos cantando “Vai Malandra“.

Os rapazes compartilharam o encontro em seu Instagram, que ao cantarem o grande hit da cantora, a deixou encantada! Mostrando habilidade, Joel Pimentel cantou além do refrão e deixou Anitta aos surtos.

A dona da voz de “Medicina” ainda revelou : “Essa é a parte mais difícil“. Confira esse encontro mais que maravilhoso e que poderia sair um feat daí.

Vale lembrar que CNCO dançaram a mesma música no programa “Encontro com Fátima Bernardes”, em maio deste ano. Confira o momento :

O grupo All Star lançou hoje (06) o clipe da música “Interrogações“. O vídeo foi produzido em Goiânia pelo diretor Francisco Bernardoni.

O clipe fala sobre o amor na vida real, utilizando o recurso “em primeira pessoa” nas gravações, captando a perspectiva do personagem que passa um dia maravilhoso com sua companheira. Bem intenso né?

O All Star lançou em março deste ano o álbum “A Onda“, com participação dos Pacificadores. O disco teve uma grande repercussão e o vídeo da canção já passou de mais de 3 milhões de visualizações!

Confira:

Quem amou? Acompanhe o grupo no instagram: clique AQUI!

Finalmente estamos à poucos dias do Garota VIP 2018!

O evento acontecerá neste sábado, no Pavilhão de Carapina e contará com um line up de peso: Wesley Safadão, Léo Santana, Gusttavo Lima, Marcia Fellipe, Felipe Fantin, dentre outros.

O evento é considerado um dos maiores do Espírito Santo e já está em sua terceira edição em solo capixaba. Além disso, o Garota VIP é conhecido no Brasil inteiro e só esbanja elogios por onde passa.

Os ingressos já estão à venda e podem ser adquiridos nos seguintes pontos de venda físicos: Acesso VIP, Magia do Perfume e Cristal Graffiti no Shopping Vitória, Cristal Graffiti de Campo Grande e nos Shoppings Mestre Álvaro, Vila Velha e Boulevard, no Dan Burguer em Jardim Camburi/Vitória e na loja DIVA em Cachoeiro de Itapemirim. Caso você queira comprar pelo site, basta clicar aqui ou aqui.

Nosso conselho é: corra e garanta seus ingressos pois a previsão é de sold out. \o/