Verzache, que começou a sua carreira em projetos da escola, está conquistando fãs ao redor do mundo. Com mais de 3 milhões de ouvintes mensais no Spotify, o artista vem se preparando para o lançando do próximo álbum. Para descobrir e entender um pouco mais deste novo projeto, o Conexão POP bateu um papo com o músico. Confira a entrevista:

CP: Qual foi a inspiração por trás de “Look Away”?

Bom, ”Look Away” eu escrevi durante o começo do coronavírus, na quarentena. Eu não quero falar sobre o real motivo da música, mas eu curti o processo de criação. Eu estou muito feliz com a resposta do público.

CP: Por que você escolheu “Look Away” para fechar o ano de 2020?

Eu acho que escolhemos como o último lançamento do ano porque ficava na ordem certa de lançamentos das músicas. Eu queria lançar os singles em uma ordem, com o intuito de mostrar os diferentes estilos das faixas que estava produzindo. Eu queria dar isso para o público.

O álbum tem muitas diferenças acontecendo e eu queria mostrar essas mudanças aos poucos, antes de lançar todo o álbum.

CP: Qual é a maior diferença entre a sua primeira música para o Verzache de 2020, com “Look Away”?

Ai meu Deus! A diferença provavelmente é que eu fiz a minha primeira música no meu celular e falando sobre como eu quebrei meu braço. Foi muito estranho, uma música horrível.

Agora, eu tenho uma carreira estranha na música. Eu fiz canções eletrônicas e agora estou fazendo esse tipo de música. É estranho olhar para o passado e pensar: ‘eu comecei aqui e agora estou aqui’.

CP: O que mudou na sua vida após você entrar na indústria musical?

Eu diria que minha vida mudou apenas em termos de música durante esse período. Todo o meu trabalho é música, mas eu fico mais em casa.

Eu sinto que a indústria musical mudou a minha vida na comunidade da música, com os artistas e com o suporte da internet. Você precisa se adaptar com tudo que está acontecendo. A indústria é confusa para mim, mas estou ansioso para a mudança.

CP: Você já pensou em desistir da música?

Sim, eu já pensei nisso antes. Inclusive, um amigo meu estava me mandando mensagem em um outro dia e falei: ‘agora não, não quero pensar nisso’. Eu gosto muito de fazer música e eu criei uma carreira a partir disso, eu não vou desistir agora.

Meus amigos já falaram sobre isso, quando você está perdendo a confiança. Eu definitivamente já pensei nisso, mas não o fiz.

CP: Para você, qual é a melhor parte do processo criativo das músicas?

Eu diria que é contar histórias ou juntar partes em uma música. Escrever uma parte da música que é muito pessoal e poder sentir que colocou tudo de si em algo. Ter uma faixa inteira é um ótimo sentimento, mas o melhor é escrever a música.

Provavelmente tocar instrumentos e fazer a música. Eu estou entrando nessa área de compositor agora, mas o melhor é escrever e produzir.

CP: Qual cantor/cantora você gostaria de fazer uma parceria?

Muitas pessoas, a lista pode ficar rodando. Eu amo James Blake.

CP: E você conhece algum artista brasileiro?

Na verdade, eu não conheço. Eu não acho que conheça algum. Eu não sei.

CP: Você pode deixar uma mensagem para os seus fãs brasileiros?

Oi, galera. Obrigada por escutarem as minhas músicas, eu estou ansioso para mostrar o meu novo álbum em 2021.

Notícias relacionadas