Dia: 22 de Fevereiro, 2021

No último sábado (20), Sandy e Lucas Lima lançaram uma releitura da canção “Lugar ao sol”, do Charlie Brown Jr, interpretada por Sandy. A faixa foi produzida por Lucas Lima e encerrou a temporada do quadro “Especial Inspiração”, do programa “Caldeirão do Huck”. Assista:

A canção foi escolhida para homenagear Felipe Caetano, jovem do Ceará que luta para combater o trabalho infantil. “Receber um convite do Luciano é sempre uma honra e uma alegria! Quando soube da homenagem, topei na hora o desafio de fazer esta releitura. A música já havia me tocado muito enquanto eu e o Lucas estávamos gravando. Mas confesso que me emocionei ainda mais quando participei da gravação do programa e ela fez mais sentido ainda dentro do contexto do homenageado”, diz Sandy.

“Eu amo essa música há muitos anos. Então, encontrar uma outra roupagem foi muito natural, divertido e, ao mesmo tempo, desafiador. E como o arranjo acabou ficando mais introspectivo, além de lançar a canção em todas as plataformas de música, a gente experimentou pela primeira vez uma versão mixada em Dolby Atmos, um formato ainda não tão popular que permite uma imersão ainda maior por parte de quem ouve”, ressalta Lucas Lima.

 

Segura que tem nome novo na área! Rachel Rossette, cantora e compositora americana, que acaba de entrar no cenário musical brasileiro. Criada numa cidade pequena ouvindo música country no sul dos Estados Unidos, Rachel morou em Orlando e Washington DC, até se mudar para Los Angeles aos 14 anos para começar sua carreira como cantora.

A cantora, lançou recentemente o single “Eu Gosto”, sendo o quarto single do seu futuro EP, “Gringa no Rio”. O Conexão POP bateu um papo incrível com a Rachel, vem conferir:

 

Você em breve vai se mudar pro Rio, e o EP já está em andamento, como surgiu essa ideia de lançar o ‘Gringa no Rio’?

Meu EP “Gringa no Rio” é sobre as minhas primeiras experiências com o Brasil: meu romance com um menino brasileiro e aspectos da cultura brasileira que eu adoro. Por exemplo, “Você Me Ganhou” e “Nada Como o Rio” (a ser lançado em alguns meses) falam sobre minha experiência com um brasileiro e como isso foi diferente para mim do que namorar americanos. Os brasileiros são muito mais extrovertidos do que os americanos, então me apaixonei pela personalidade dele, sua paixão pela vida. Minha música “Solteira” foi inspirada em como as brasileiras são contundentes e ousadas. Nos Estados Unidos, se uma garota está namorando um cara que seus amigos não gostam, eles geralmente não dizem a ela porque não querem magoar seus sentimentos. Mas os brasileiros seriam muito diretos e diriam: “Ele não é um cara bom, não gosto dele para você”. Então Solteira tem tudo a ver com dizer ao seu amigo que o cara com quem ela está namorando não é bom – algo que é mais fácil para mim cantar do que às vezes, haha.

O seu estilo é algo único, você procura ser mais autêntica ou se inspira em alguém?

Acho que muito do meu estilo vem da minha cultura. No sul dos Estados Unidos (onde eu nasci), as mulheres adoram concursos de beleza, cabelos grandes, brincos chamativos e adoram ser muito femininas. Sempre fui super feminina, então o rosa dominou meu armário por toda a minha vida. As mulheres do sul também gostam de deixar muito para a imaginação – elas são muito conservadoras e não mostram muito de seu corpo, mas o acentuam de maneiras sexy que não são muito óbvias. Eu amo a sensualidade elegante que vem do estilo deles, que influenciou como eu me visto.

Como foi gravar o clipe de “Eu Gosto”?

Foi muito divertido! Nós filmamos no Estado de Utah (Estados Unidos) e como você pode ver pela neve no vídeo, estava congelando! Tínhamos uma coreografia muito legal, mas em uma das cenas estava tão frio lá fora que eu mal conseguia mover meus braços e pernas – quase não usamos nenhuma cena de dança daquele clipe haha! Estou animada por não ter esse problema no Rio – posso lidar com filmagens e dançar estando quente e suada, mas estar com frio paralisa o corpo e é muito difícil.

Você sem dúvidas é uma artista completa, mas com qual artista (aqui do Brasil) você sonha em gravar algo?

Meu amor pela música brasileira começou com a Anitta, então eu teria que escolhê-la! Ela foi a primeira artista que me fez querer aprender português, pois adorava suas canções e queria entender o que ela cantava. Agora que entendo português, tenho assistido aos seus documentários na Netflix e adoro aprender mais sobre ela, não apenas como cantora, mas como empresária e chefe de sua carreira. É óbvio que ela trabalha incansavelmente em sua carreira e eu admiro sua ambição e dedicação.

O que podemos esperar do EP “Gringa no Rio”?

Vocês podem esperar muita música animada, dançantes e inspiradoras no “Gringa no Rio”. Quero que minhas músicas animem as meninas e lembrá-las de como elas são incríveis! Eu amo ser romântica, mas este EP foca mais no poder feminino e em acreditar que você tem a capacidade de fazer tudo o que quiser na vida! Talvez meu próximo álbum seja um pouco mais suave e romântico, quem sabe!

Com muita referência cultural, Jevon entrega tudo com o short film “Forest Fire”, que conta com a tecnlogia VFX –efeitos visuais–, realizada pelos estúdios 1983, supervisionada por Nick Lines e produzida por Greatcoat Films. Dirigido por VYLIT, o vídeo ainda traz nomes como Courtney Bennett, responsável pela direção de fotografia e Andrew Clunie como editor.

A ideia do short filme foi divulgar o primeiro álbum de estúdio de Jevon, “Fell In Love in Brasil”, lançado na última sexta-feira.

Destaque da cena britânica, Jevon cresceu no bairro Mozart Estate, no noroeste de Londres, mas conforme o tempo passou, ele se viu cada vez mais obcecado por bossa nova, disco, samba e outros gêneros que conheceu através de seu avô brasileiro.  Sabendo que essa música era parte dele e que era isso que seu álbum de estreia precisava ser, começou então uma jornada de autodescoberta, incluindo várias viagens ao Rio de Janeiro e São Paulo. O Brasil na época envolvia um clima político extremo, já que Jair Bolsanaro estava prestes a ser eleito.

“Fell In Love InBrasil” foi finalizado entre Londres e São Paulo, com o lendário produtor Daniel Ganjamam assinando como co-produtor e com produções de Deekap, além de participações de vários artistas brasileiros, como Marcus ValleRincon Sapiência, Jé Santiago  e Tássia Reis.