Etiqueta: Lourena

Bianca Costa é brasileira, mas passa parte de sua vida na França e isso é algo notável em suas letras. Sempre fazendo uma fusão entre às duas culturas presentes em sua vida, as suas músicas são uma mistura de Pop Funk com uma pegada de Bossa Nova. Seu último trabalho foi o remix da sua música ‘Shoota’ com a participação da Lourena e Ebony, o que é só um começo de uma nova fase na sua vida profissional.

A Bianca cedeu uns minutos do seu dia para nos, então confiram todos os detalhes dessa entrevista maravilhosa, abaixo.

De onde surgiu a ideia de misturar o francês com o funk? Tanto na estética, quanto no clipe?

Eu comecei a cantar profissionalmente a cerca de 3 anos, na época comecei a trabalhar com um produtor francês bem conhecido por aqui, começamos a pensar no que poderíamos fazer, em qual estilo de música poderíamos produzir. Eu já tinha essa vontade de misturar a música francesa com a brasileira e ai começamos a fazer testes, acabou que nós gostamos do resultado e tá ai! – Contou – A verdade é que a música brasileira aqui na frança, é bem popular, eles gostam bastante, mas não têm um artista brasileiro que represente a nossa cultura aqui e foi aí que resolvi testar, para ver no que vai dar e surgiu a Bossa Trap.

Como foi crescer na frança? Você sente falta do Brasil e pretende voltar a morar aqui algum dia?

Nossa, eu sinto muita falta. Minha família está aí, minha avó, meus primos. Eu moro aqui na frança só com a minha mãe, nos viemos para cá sozinhas então a saudade é horrível, saudade da comida, das pessoas. Mas, por outro lado, eu penso que tive muitas possibilidades estando aqui, de conhecer novas pessoas, com a minha música, então eu tento ver as coisas positivas sabe? – Comenta – Pretender voltar no Brasil… Ainda não sei, ainda não consigo me ver imaginando voltar, porque minha vida toda está aqui. Mas eu acredito que quando eu crescer um pouco mais, eu pretendo sim, voltar a morar no Brasil.

Qual a sensação de trabalhar com a Lourena e com a Ebony? Como surgiu esse convite?

Foi incrível! A música Shoota é uma música que já lancei a um tempinho, é uma música que fala sobre isso, sobre morar fora do Brasil, as perguntas que eu tenho, a saudade, etc. Então, poder fazer um remix dela com artistas brasileiras foi incrível. Eu tenho um amigo no Brasil que é produtor, o Moisi, que conhece as meninas e que convidou elas para fazerem parte da música, dai elas super que toparam. A gente se ligou na hora, fizemos um face-time, ocorreu super bem, elas são super legais e a parte delas ficou incrível, elas arrasaram.

Você pretende continuar com essa estética nos próximos projetos? E conta para gente, o que podemos esperar vindo de você? Pretende lançar um EP, um álbum?

Eu lancei meu primeiro EP a uns meses e eu suponho que depois de julho/agosto irei lançar outro, já que é o verão aqui e o inverno ai. Antes, vai ter… Não posso falar ainda, mas tem muita coisa chegando. Teve uma evolução artística, pude trabalhar com outros cantores e produtores. Eu quero que para as próximas músicas, consiga trabalhar um pouco mais no francês, mas também trabalhar mais ai no Brasil. Então vai ser menos mistura, como, por exemplo: uma letra 90% em português e a outras, 90% em francês. Mas ainda quero trabalhar as minhas músicas ai no Brasil, vai ter colaborações com outros artistas brasileiros chegando e outras com artistas franceses, então, vamos nessa!

Como ta sendo o processo criativo durante a pandemia? Vi que você criou a série Bossa Trap, que você posta tanto no Instagram, quanto no Facebook. De onde surgiu essa ideia? Conta mais sobre para nós.

Então, eu tive a ideia durante o primeiro confinamento de fazer uns vídeos, a Bossa Trap. Eu pego musicas que estão bombando na frança de trap, rap e transformo em baile funk ou bossa nova, colocando umas palavras em português também. Eu fiz 2 no início do ano passado e depois parei, dai voltei fazendo um por semana, a cada quinta-feira após julho. E deu super certo, o pessoal da frança adorou e começou a bombar, tem muita visualização tanto no YouTube, quanto no Instagram. Na época do natal fiz um por dia e é assim que tento levar, já que estamos sem shows ao vivo, eu comecei a focar nas redes sociais e foi aí que surgiu essa maneira de postar covers, a Bossa Trap.

Você pretende fazer shows online?

Não sei bem, meu segundo EP com certeza tera vídeos acústicos, mas estou torcendo para poder fazer shows ao vivo, conhecer meu público, viajar em turnê pelo Brasil… – Comentou – Poder sentir a energia mesmo.

Mudando de foco. Quais são os artistas que você tem como referência na sua carreira?

Hmm… Difícil essa. Eu me inspiro em um pouco de tudo, na verdade, tem artistas que eu sempre falo, como: Nara Leao, Vanessa da Mata, cantoras que eu escutava desde pequena. Hoje em dia tem artistas como a Anitta, que eu acho que faz um trabalho maravilhoso, Luísa Sonza. Cantoras internacionais como a Rosália. Eu me inspiro em tudo, muito de tudo que eu vivi sabe? De crescer longe do meu país e por aí vai.

Qual o seu Top 3 de músicas do momento?

Meu top 3 de músicas do momento? Mulher tu me fala isso assim? – Brincou – Não posso falar ‘Shoota’ né? Então, tem ‘Sad Girlz Luv Money’ da Amaarae e da Moliy. Tem também ‘Dona Beija’ do Jey Brownie que é uma vibe meio francesa, meio afro, muito gostosinha. E to escutando muito também o último álbum do C. Tangana, é um espanhol e a música que mais tenho ouvido dele é ‘Comerte Entera’.

 

E essa foi a nossa entrevista com a Bianca Costa, nós agradecemos que ela tenha cedido um momento do dia para falar conosco, por essa oportunidade. Desejamos muito sucesso para ela e não deixem de dar stream nas músicas dela.